Cerca

Vatican News
Crianças em Maiduguri, nordeste da Nigéria Crianças em Maiduguri, nordeste da Nigéria  (AFP or licensors)

Nigéria: quase 900 crianças libertadas de grupos armados no nordeste do País

Nesta sexta feira, 10 de maio, 894 crianças, entre as quais 106 rapazes, foram libertadas do grupo armado local Civilian Joint Task Force (CJTF), em Maiduguri, no nordeste da Nigéria, como parte do esforço de pôr fim e prevenir o recrutamento e uso de crianças.

António Pamplona – Cidade do Vaticano

No conflito armado em curso no nordeste da Nigéria mais de 3.500 crianças foram recrutadas e usadas por grupos armados não estatais entre 2013 e 2017, outras foram sequestradas, mutiladas, violadas e assassinadas.

Oiça aqui a reportagem:

De setembro 2017, quando a CJTF assinou um plano de ação empenhando-se a aplicar ações para pôr fim e prevenir o recrutamento e uso de crianças, 1.727 crianças e jovens foram libertadas. Desde essa altura a CJTF não fez novos recrutamentos.

Programas de reintegração das crianças

As crianças e jovens libertados ontem receberam apoio através de programas de reintegração de forma a serem integradas na vida civil, a encontrarem novas formas de oportunidade para o seu desenvolvimento e contribuir para trazer uma paz duradoura à Nigéria, na qualidade de cidadãos produtivos para o próprio País.

Sem este suporte, muitas crianças libertadas de grupos armados lutam para se adaptarem à vida civil, porque muitos não têm nem instrução nem competências profissionais.

Lutar pelas crianças e sua total libertação

O representante da UNICEF na Nigéria, Mohamed Fall, disse que não era possível renunciar a lutar pelas crianças e a sua total libertação, até que não haja criança alguma nas filas dos grupos armados na Nigéria.

Desde 2012, os grupos armados não estatais do nordeste da Nigéria recrutaram e usaram crianças como combatentes e outras não, violaram e forçado raparigas a casar entre outras graves violações dos direitos das crianças.  Muitas destas raparigas engravidaram e deram à luz sem as mínimas condições, assistência nem atenção.

Trabalho da UNICEF e autoridades estatais

A UNICEF continua a trabalhar com as autoridades estatais para implementar o programa de reintegração de todas estas crianças e jovens que estiveram envolvidos nos grupos armados e nos conflitos em curso. Ao menos 9.800 pessoas precedentemente associadas a grupos armados, assim como crianças vulneráveis, tiveram acesso a estes serviços de apoio entre 2017 e 2018.

De referir que a CJTF é um grupo armado local, formado em 2013, com objetivo de proteger a comunidade de ataques, e ajuda as forças de segurança nigerianas a combater as insurreições no nordeste da Nigéria. 

10 maio 2019, 11:31