Cerca

Vatican News
Participantes na Conferência Inter-Diocesana sobre paz e evangelização, em Lodwar, norte do Quénia Participantes na Conferência Inter-Diocesana sobre paz e evangelização, em Lodwar, norte do Quénia 

Igreja Católica apela ao desarmamento de pastores na África Oriental

"Comprometemo-nos a sublinhar o sofrimento causado pelas armas ligeiras na vida quotidiana da nossa gente" – afirmaram os Bispos africanos que participaram na sexta Conferência inter-diocesana anual sobre a paz transfronteiriça e a evangelização, realizada no centro pastoral de Santa Teresa de Turkana, no norte do Quénia.

Cidade do Vaticano

"Não ficaremos mais em silêncio. Não permaneceremos mais hesitantes e não seremos mais tímidos, mas nos comprometemos a denunciar as armas ligeiras e o mal que trazem na vida quotidiana das pessoas, dizem os Prelados numa nota citada pela Agência Fides.

Respeito e protecção da vida

Os participantes, vindos do Quénia, Uganda, Etiópia e Sudão do Sul, enfrentaram o problema dos conflitos transfronteiriços que afectam os seus Países, provocados pelos roubos de rebanhos cometidos por gangues dotados de armas de guerra. Por isso, os Prelados lançaram um apelo por uma acção visando o desarmamento progressivo dos pastores que vivem ao longo das fronteiras dos quatro Estados, com o envolvimento das autoridades nacionais e locais e de várias organizações da sociedade civil.

Para que o desarmamento aconteça de maneira pacífica - disseram os Bispos – deve-se primeiro criar um clima de confiança, colaboração e respeito, e de protecção da vida por parte das comunidades locais, das organizações da sociedade civil, das diferentes confissões religiosas e dos governos.

Apelo aos governos locais

Além disso, embora reconhecendo os esforços dos governos do Quénia, Uganda, Sudão do Sul e Etiópia com as suas constantes iniciativas de construção da paz a nível nacional e transfronteiriço, os Bispos pediram aos governos da região para assumirem um papel de liderança. na sensibilização das comunidades de pastores sobre a necessidade de abraçar a coexistência pacífica e o desarmamento. Em particular, "os governos deveriam fornecer meios de subsistência alternativos ou complementares às pessoas que vivem nas áreas afectadas por conflitos.

O empenho da Igreja

Finalmente, os Bispos africanos reafirmaram o seu empenho "como Igreja Católica”, no cumprimento do mandato de evangelização e cuidado pastoral. “Compreendemos que o nosso trabalho inclui a transformação da mente e do coração dos membros das nossas comunidades, falando às suas consciências. Temos a tarefa de apoiar o respeito pela vida humana e de promover a convivência pacífica”.

Alguns dados

Segundo o Regional Center for Small Arms (Centro Regional de Armas Ligeiras), RECSA, na região de fronteira entre o Uganda, o Sudão do Sul, o Quénia e a Etiópia, existem 8 milhões de armas ligeiras nas mãos de civis, num total de 36 milhões mantidas por civis em toda a África - (Agência Fides).

18 maio 2019, 17:29