Cerca

Vatican News
2019.05.02 Marcha dos Trabalhadores em Angola ** Giornata del Lavoro in Angola  Programma Portoghese Marcha de Trabalhadores em Angola no dia 1 de Maio de 2019 

Dia do Trabalhador em Angola - marchas e reivindicações

A melhoria das condições salariais, de trabalho, a celeridade na resolução dos conflitos laborais e a revisão da actual Lei Geral do Trabalho, foram as principais reivindicações dos trabalhadores angolanos no Dia Internacional do Trabalho, 1 de Maio.

Anastácio Sasembele - Luanda 

Em marchas organizadas pelos sindicatos, a propósito do Dia Internacional do Trabalhador (01 de Maio), o movimento apresentou ainda como preocupações dos associados a elevada taxa de desemprego, principalmente entre os jovens, a baixa taxa de cobertura do salário mínimo nacional em relação a cesta alimentar básica.

Oiça

Nas suas mensagens, a massa trabalhadora que saiu, nesta quarta-feira, às ruas do país para assinalar o 01 de Maio, apelaram ao patronato o aumento salarial, a melhoria das condições de trabalho, a criação de postos de saúde nos locais de trabalho, transportes colectivos, entre outros.

Apesar de reconhecer o esforço do Executivo, os trabalhadores apontaram para a necessidade da criação de mais postos de trabalho para absorver os cidadãos desempregados, sobretudo os jovens.

O presidente da Comissão de Justiça e Paz da Conferência Episcopal de Angola e são Tomé (CEAST) Dom Gabriel Mbilingui aconselhou o governo angolano a rever a política laboral.

Dom Gabriel Mbilingui alertou que o desemprego e as baixas remunerações podem comprometer a paz social.

Em Luanda, a marcha contou com a participação de cerca de 15 mil trabalhadores, à semelhança do que ocorreu nas capitais das diversas províncias do país.

1 de Maio, dia internacional do trabalhador, teve a sua origem no massacre ocorrido em Chicago/EUA, nos primeiros dias de Maio de 1884, quando a polícia norte-americana disparou a matar contra manifestantes desarmados que exigiam uma jornada de oito horas e melhores condições de trabalho.

Inspirados nesse evento, trabalhadores e sindicalistas de todo o mundo, reunidos em Paris, em Julho de 1889, decidiram proclamar o dia 1º de Maio como o Dia Internacional dos Trabalhadores.  

Desde então, a data tem sido celebrada pelos trabalhadores de todo o mundo, sendo proibida ou ignorada por regimes autoritários e anti-democráticos, ou consagrada como feriado nos países que reconhecem os legítimos direitos dos trabalhadores e pugnam pela elevação do seu nível de vida e da melhoria das suas condições laborais, como é o caso da República de Angola.

02 maio 2019, 14:50