Vatican News
D. Belmiro Cuica Chissengueti, Bispo de Cabinda, em Angola D. Belmiro Cuica Chissengueti, Bispo de Cabinda, em Angola 

Páscoa em Angola: “Jesus ressuscitado, símbolo de partilha, amor e fraternidade”

À semelhança de outras partes do mundo os cristãos em Angola celebraram a Páscoa com a esperança na Ressurreição e renovado empenho de partilha, amor e fraternidade.

Anastácio Sasembele – Luanda, Angola

“Cristo ressuscitou, o túmulo está vazio, a humanidade está salva, agora é hora de abraçar esta salvação testemunhando uma verdadeira vida cristã” - estas foram as palavras proferidas por fiéis, religiosos e sacerdotes da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé, ouvidos pela nossa reportagem no Domingo de Páscoa (21/4).

Oiça aqui a reportagem e partilhe:

Na Diocese de Cabinda Dom Belmiro Chissengueti realçou que na Páscoa o cristão é chamado a renovar os seus compromissos baptismais.

Na Páscoa comprometimento com a partilha e vida nova

Durante a celebração da Páscoa os fiéis foram também chamados para a partilha e o comprometimento com uma nova vida. Na Diocese do Namibe, por exemplo, Dom Dionísio Hisilinapo disse que Jesus ressuscitado é símbolo de partilha, amor e fraternidade e lamentou, por outro lado, o facto de até agora muitos cristãos sofrerem perseguições por causa do testemunho da fé.

Convite à conversão, moderação e solidariedade

Os cristãos foram igualmente convidados à conversão, a praticarem o bem, a viverem este mistério com muita fé, moderação, civismo e solidariedade, abstendo-se do que os pode conduzir ao pecado. Ao convite reagiram os fiéis católicos da Diocese do Luena (Moxico) que prometeram seguir o exemplo de Cristo “que tomou a ceia com os discípulos num acto de comunhão”.

23 abril 2019, 11:18