Busca

Vatican News
Campanha eleitoral no Senegal Campanha eleitoral no Senegal  (AFP or licensors)

Senegal. Tem início missão eleitoral da Igreja para o voto de 24 de fevereiro

A maneira mais segura para obter a paz social é organizar eleições transparentes, do início ao fim, que dêem resultados incontestáveis e aceites por todas as partes, diz num comunicado o Secretário Executivo da Comissão Episcopal de Justiça e Paz no Senegal, Padre Seck.

Cidade do Vaticano

"Fiel à sua missão de construir a paz por meio da justiça, a Comissão Episcopal de Justiça e Paz enviará os seus observadores para as eleições presidenciais de 24 de fevereiro de 2019", escreve o Padre Alphonse Seck, Secretário Executivo de "Justiça e Paz" e Secretário Executivo da Caritas Senegal, num comunicado divulgado por ocasião da conclusão do curso de formação dos observadores eleitorais, realizado nos dias 2 e 3 de fevereiro.

Uma missão de mil pessoas

A missão de observação eleitoral será composta por cerca de mil pessoas e será conduzida em colaboração com os Escuteiros do Senegal, como foi para a votação de 2012, que incluía a eleição presidencial em dois turnos e a renovação do Parlamento.

Preservar a paz social

O Padre Seck sublinhou a preocupação da Igreja porque "a falta de consenso entre as partes em vários assuntos poderia ter consequências na realização pacífica das eleições". Neste contexto, explica o sacerdote, "devemos trabalhar para preservar a paz social. A maneira mais segura para obtê-la é organizar eleições transparentes, do início ao fim, que dêem resultados incontestáveis e aceites por todas as partes”.

Sensibilização ao voto

Os futuros observadores da Igreja Católica são recrutados em todas as dioceses do Senegal e são formados para estarem prontos antes do prazo final. Como parte da missão de observação eleitoral, são previstas actividades de sensibilização ao voto, incluindo encontros com os candidatos ou os seus representantes sobre questões escolhidas pela gente, uma campanha de informação e educação cívica para jovens; programas de rádio e muito mais. - (Agência Fides).

08 fevereiro 2019, 11:06