Cerca

Vatican News
Padre Gigi Maccalli, no Níger Padre Gigi Maccalli, no Níger 

Niger. Bispo de Niamey: "Padre Maccalli está vivo e bem”

O Bispo da diocese de Niamey, D. Djalwana Laurent Lompo, diz que o Padre Pier Luigi Maccali, missionário Sma sequestrado no passado dia 17 de setembro, está vivo e bem. Não conseguiu dizer, por razões de segurança, em que elementos baseia esta afirmação, mas pediu para acreditarmos que ele diz com toda a sinceridade e verdade.

Cidade do Vaticano

Quem o disse, num comunicado citado pela Agência Fides, foi o Padre Désiré Salako, de nacionalidade beninense, Superior do distrito da Sociedade para as Missões Africanas (Sma) do Benin-Níger, território de que faz parte a missão do Padre Pier Luigi Maccali, o missionário Sma sequestrado e até agora nas mãos dos sequestradores. "O Padre Désiré Salako foi o primeiro a ter a notícia do sequestro do Padre Gigi, e desde então, como seu amigo e confrade, e como seu Superior Sma, ele segue dia a dia a evolução deste caso, mantendo os contactos com as autoridades do Níger, em nome da Sma", explica à Agência Fides o Padre Marco Prada, da Sma de Génova.

Muitos estão a trabalhar em todos os sentidos para a sua libertação

"Na semana passada, o Padre Désiré Salako visitou a Casa provincial em Génova e quis encontrar os familiares do Padre Gigi em Madignano, na província de Cremona. Fizemos-lhe muitas perguntas e são muitas as esperanças que cada um de nós traz no seu coração para ver o Padre Gigi novamente, são, salvo e sereno. O Padre Salako soube dar-nos a prova de que ninguém se esqueceu do Padre Gigi e que muitos estão a trabalhar em todos os sentidos para a sua libertação. E sobretudo, ele nos transmitiu a mensagem do Bispo de Niamey, assegurando que o Padre Gigi, segundo as suas informações, está bem”.

Todos querem que este caso se conclua pacificamente

"A primeira preocupação das autoridades do Níger, mas também da Embaixada italiana em Niamey, é a incolumidade do Padre Gigi, e que qualquer acção que venha a ser empreendida não coloque em risco a sua vida", continua o Padre Prada. "É desejo de todos que este caso se conclua pacificamente, sem violência desnecessária. Para isso, disse o Padre Desiré, é preciso ter paciência. O tempo que passa, o aparente silêncio, a falta de notícias, não devem ser interpretados como sinal de inactividade. Pelo contrário, é o clima mais frutífero porque as partes envolvidas podem entrar em contacto com discrição e confiança mútua”.

Orações incessantes para a libertação do Padre Gigi

O Padre Salako agradece as orações incessantes dirigidas a Deus, em várias partes da Itália, em muitas comunidades, também fora da Itália, para a libertação do Padre Gigi e das outras pessoas raptadas no Sahel. "Rezamos pela paz e a concórdia no Níger, pela serenidade do pequeno rebanho cristão daquele País. Continuamos a rezar, com insistência, perseverança e confiança, e a manter sempre acesa a chama da atenção e afecto para com o pai Gigi", diz o Padre Prada, esperando orações de uma maneira especial "pelos que estão envolvidos nos esforços para a libertação do missionário italiano e dos outros reféns, para que sejam iluminados pelo Espírito Santo, e encontrem os meios mais oportunos para levar a bom termo o seu trabalho", acrescentou.

Convite a rezar pelos sequestradores do missionário

Finalmente, o Padre Desiré pede para se rezar também pelos sequestradores: "Jesus nos disse que os cristãos ousam rezar pelos seus inimigos, porque acreditam que Deus pode mudar o seu coração, pode infundir em todos os corações o sentimento de humanidade e justiça. Ele ficou apenas algumas horas connosco, mas a sua visita foi providencial. Fortaleceu a nossa esperança e nos fez sentir próximos do Padre Gigi. Rezemos juntos para que o próximo Natal nos traga o dom da sua libertação", conclui o missionário Sma - (M.P./A.P. - Agência Fides).

04 dezembro 2018, 15:08