Cerca

Vatican News
Cardeal John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja Cardeal John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja 

Nigéria: Bispos ao governo: “lutemos juntos contra o tráfico de seres humanos”

Igreja e governo na Nigéria devem colaborar para restituir a dignidade às vítimas do tráfico de seres humanos – afirmou Dom Augustine Obiora Akubeze, arcebispo de Benin City e presidente Conferência dos bispos nigerianos, no seu discurso na conferência "Igreja e Estado colaboram para restaurar a dignidade das vítimas do tráfico de seres humanos", que teve lugar na capital Abuja.

Cidade do Vaticano

"A nossa colaboração com o governo deveria envolver tomar conta das vítimas, fornecendo-lhes apoio financeiro, moral, espiritual e legal", disse Dom Akubeze, citado pela agência Fides.

Apoiar as vítimas e processar os responsáveis

O prelado acrescentou em seguida que "ajudar a processar os responsáveis pelo crime de tráfico de seres humanos é também uma maneira de restaurar a dignidade das vítimas". As nossas leis devem ser suficientemente fortes para garantir que as pessoas directa e indirectamente responsáveis pelo tráfico de pessoas sejam processadas pela justiça.

Melhorar a economia para prevenir a emigração ilegal

Durante a conferência, organizada pelo Sancta Marta Group African Regional Conference em colaboração com a Catholic Caritas Foundation of Nigeria (CCFN), o Cardeal John Olorunfemi Onaiyekan, arcebispo de Abuja, também usou da palavra chamou a atenção às autoridades do governo para melhorarem a economia nacional, sublinhando que, se as condições de vida dos nigerianos fossem melhores, muitos deles não tentariam o caminho da emigração ilegal, acabando por ser vítimas do crime organizado.

A terrível praga da exploração sexual de menores

O Purpurado recordou que "a forma mais atroz de lucro do tráfico de seres humanos é a exploração sexual de crianças e menores". Estas atividades estão sob o controle de gangues criminosas sem piedade, que obtêm enormes lucros à custa de vítimas indefesas". Infelizmente, como denunciou Dom Matthiew Ndagoso, arcebispo de Kaduna e presidente do CCFN, "alguns membros das forças de segurança estão comprometidos com os traficantes que cometem este crime hediondo contra os nigerianos". (Fides)

29 novembro 2018, 17:28