Cerca

Vatican News
Mocímboa da Praia - Cabo Delgado, Moçambique, localidade fustigada por terroristas Mocímboa da Praia - Cabo Delgado, Moçambique, primeira localidade a ser fustigada por terroristas 

Mocambique: Ataques em Cabo Delgado fazem pelo menos 12 mortos

Pelo menos doze pessoas morreram no ataque registado na noite de quinta-feira (22) no distrito de Nangade, em Cabo Delgado, norte de Moçambique . Os atacantes queimaram cerca de 40 casas.

Hermínio José - Maputo.

Os atacantes irromperam na calada da noite pela aldeia de Chicuaia Velha (norte da província), onde com recurso a armas brancas assassinaram 12 pessoas, entre mulheres e crianças.

Informações dão conta de que os insurgentes não traziam armas de fogo e usaram catanas e outros instrumentos contundentes para violentar as vítimas. Os insurgentes atearam fogo nas casas cujos proprietários recusaram-se a abrir as portas, havendo registo de pessoas que morreram carbonizadas.

Devido ao ataque, parte dos residentes da aldeia Chicuaia Velha e arredores fugiram para a vizinha República da Tanzânia, à procura de segurança.

Este é o terceiro ataque em menos de um mês no norte de Cabo Delgado, com um balanço de 20 mortos e perto de 100 casas queimadas.

Igreja preocupada com os ataques

Entretanto, a Igreja Católica em Moçambique manifesta a sua preocupação relativamente aos recentes ataques em algumas aldeias na província de Cabo Delgado, a norte do País.

A Conferência Episcopal de Moçambique, reunida recentemente em Maputo, emitiu um comunicado, no qual condena a onda de violência e ataques em algumas zonas de Cabo Delgado. Os bispos reiteraram que “a igreja está atenta aos últimos episódios em Cabo Delgado e neste momento foram enviados missionários para trabalharem juntos às zonas e famílias afectadas”.

Num ataque havido na aldeia de Quitarejo, há cerca de duas semanas, pelo menos 45 casas foram incendiadas, mas não houve vítimas mortais.

Bispo de Pemba pede um fim aos ataques

Por seu turno, o Bispo da Diocese de Pemba e presidente da Comissão Justiça e Paz na Conferência Episcopal de Moçambique (CEM) apelou aos moçambicanos, para que cada um faça a sua parte, com vista a pôr termo aos ataques armados em algumas zonas de Cabo Delgado. Dom Luiz Lisboa enaltece o bom relacionamento entre as diferentes confissões religiosas naquela parcela de Moçambique e o comum  desencorajamento e combate a esses ataques.

 

23 novembro 2018, 15:06