Versão Beta

Cerca

Vatican News
2018-02-07 comunita sant egidio Momentos da assinatura do Acordo Geral de Paz há 26 anos.  

Moçambique: 26 anos de Paz em debate

A 4 de Outubro próximo, Moçambique assinala 26 anos da Assinatura do Acordo Geral de Paz, em Roma. Terminavam assim 16 anos de guerra. Nesta quadra, políticos, sociedade civil, confissões religiosas, juntaram-se à volta de uma mesa, em Maputo, para falar de Paz.

Hemínio José - Maputo 

Os organizadores da Conferência sobre a Paz, fazem um balanço positivo do evento, a avaliar pelo maior nível de participação. Segundo o académico Arlindo Gomes, na reflexão sobre a paz, falou-se dos desafios que Moçambique tem, no tocante a manutenção da paz efectiva no país.

Todos devem primar pela preservação da paz

A Presidente da Assembleia da Republica, Verónica Macamo, disse que o país vive actualmente um momento de paz, pelo que dever de todos, tudo fazer para a preservação deste bem precioso, a paz.

"A Paz é sinónima de alegria", Pe. Ferreti

Por seu turno, o Pe. George Ferreti, afirma que a celebração da paz, volvidos 26 anos da Assinatura dos Acordos de Paz, é sinónimo de alegria para os moçambicanos.

De recordar que o Presidente da República, Filipe Nyusi, a quando da sua comunicação a Nação sobre o Estado Geral da Nação, vincou que a instabilidade politica, caracterizada por ataques armados em algumas regiões do norte de Moçambique, trouxeram dor e luto as famílias moçambicanas.

Refira-se que o Acordo Geral de Paz, foi assinado em Roma em 1992, cujos principais signatários foram o antigo do Presidente da Republica Joaquim Chissano e Afonso Dhlakama, o falecido líder da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique.

Oiça

 

30 julho 2018, 13:29