Versão Beta

Cerca

Vatican News
Filinto Elisio e Márcia Souto - Casa Editrice "Rosa de Porcelana" Filinto Elísio e Márcia Souto intervindo no encontro do dia 1 de Julho na apresentação do livro "Itinerários de Amílcar Cabral" na Sala Marconi da Rádio Vaticano  

Interiorizar os muitos legados de Cabral - Filinto Elísio e Márcia Souto

Um projecto de estudos biográficos que acrescente valor a o que já se conhece da personagem. Esta a intenção da Casa Editora Rosa de Porcelana ao trazer a público mais uma obra sobre aspectos da vida privada e não só do líder da independência da Guiné-Bissau e de Cabo Verde: “Itinerários de Amílcar Cabral”.

Dulce Araújo - Cidade do Vaticano

A 43 anos da independencia de Cabo Verde, Amílcar Cabral orgulhar-se-ia do caminho percorrido pelo país, mas há ainda muito a aprimorar para se cumprir Cabral. Quem o diz é Filinto Elísio, poeta, escritor e editor cabo-verdiano que, juntamente com Márcia Souto,  vem procurando trazer a público, através da Casa Editora "Rosa de Porcelana" , obras de cunho biografico, mas que ajudam a compreender melhor a complexidade do grande humanista que era Amilcar Cabral. 

A obra "Itinerários de Amilcar Cabral" que acaba de vir a público, foi lançada na Radio Vaticano no dia 1 de Julho, numa cerimónia que relembrou a célebre audiência do Papa Paulo VI (em 1970) a Amílcar Cabral e outros líderes da independência das colónias portuguesas. Foi - segundo os editores  -  "um momento histórico sobre a história" . 

Ler Cabral hoje é  interiorizar os seus vários legados e ter novas luzes para  construir "um outro mundo neste mundo" , como ele dizia - recordam os editores,  para os quais, num mundo marcado pelo medo do outro, Cabral que soube unir povos, pode ajudar a abrir-se à humanidade do outro.  

Em conversa com o programa português da Rádio Vaticano, no dia quatro de julho, Filinto e Márcia abordaram estas questões todas. 

Oiça aqui as suas palavras
09 julho 2018, 18:36