Cerca

Vatican News
Camarões: manifestaões em Bamenda (foto de Arquivo) Camarões: manifestaões em Bamenda (foto de Arquivo) 

Camarões: Bispos preocupados com a situação sócio-política do País

Poucos dias antes da celebração da festa da Unidade Nacional dos Camarões e da Solenidade de Pentecostes, em 20 de maio de 2018, os bispos camaroneses publicaram uma nova mensagem intitulada: "Grito de angústia dos bispos dos Camarões”.

P. Bernardo Suate - Cidade do Vaticano

Nesta mensagem com data de 16 de maio de 2018, os bispos dos Camarões unidos num só coração e interpelados pela crise sócio-política que persiste nas regiões noroeste e sudoeste do País, consideram que uma mediação se impõe para uma saída da crise. Eles exprimem a sua compaixão e solidariedade a todas as vítimas dessa violência e não se esquecem de rezar por elas.

Crise que põe em risco vidas, bens e coesão social

Uma crise que põe em risco a vida das pessoas, a segurança dos bens e a coesão social, como os bispos já tinham recordado. Trata-se de um apelo mais que urgente para que se encontre uma saída a esta crise que abala o País desde 2016.

O presidente da Conferência Episcopal Nacional dos Camarões, Dom Samuel KLEDA, explicou em entrevista à Rádio Vaticano a importância desta nova mensagem para a paz:

Aflição das populações, perigo de guerra civil

"Este grito de angústia reflete a aflição das populações e o sofrimento dos nossos irmãos. Nós somos um único País. Portanto, são os camaroneses que se matam uns aos outros e lutam contra si mesmos. (...) temo que não estamos longe de uma guerra civil". – disse D. Samuel Kleda.

Mensagem integral:

« Ouvi o grito do meu Povo» ! Ex. 3, 7

A todos os Camaroneses e aos Homens de boa vontade!

"Grito de angústia dos bispos dos Camarões”

Nós, Bispos dos Camarões, unidos num só coração, somos novamente interpelados pela crise sócio-política que prevalece nas duas regiões do Noroeste e do Sudoeste.

De facto, desde outubro de 2016, as Regiões Noroeste e Sudoeste têm passado por situações difíceis, marcadas por violência desumana, cega, monstruosa e por uma radicalização das posições que nos preocupam.

Queremos mostrar a nossa solidariedade e compaixão para com todas as vítimas desta violência e reezamos por elas.

Nas nossas mensagens anteriores, já chamávamos a atenção para esta crise, que põe em perigo a vida das pessoas, a segurança dos bens e a coesão social.

A todos os camaroneses, nós lançamos este grito de angústia em Nome de Deus, Pai Todo-Poderoso: cessem todas as formas de violência e paremos de nos matar uns aos outros; somos todos irmãos e irmãs, retomemos o caminho do diálogo, da reconciliação, da justiça e da paz.

Nós, Bispos dos Camarões, consideramos que uma mediação é agora necessária para uma saída da crise; poupemos o nosso País, Camarões, de uma guerra civil inútil e sem fundamentos.

Que o Espírito de Pentecostes, que invocamos nesta semana, toque os nossos corações e nos conduza ao caminho da paz e da unidade.

Feita em Yaoundé, no dia 16 de maio de 2018.

Bispos dos Camarões: Oiça aqui:
21 maio 2018, 08:54