Versão Beta

Cerca

Vatican News
Rosana Almeida, Presidente do ICIEG, no colóquio sobre a OMCVI Rosana Almeida, Presidente do ICIEG, no colóquio sobre a OMCVI 

Queria fazer mais e não vi caminhos para o que tinha em mente

Presidente do ICIEG, Rosana Almeida, esteve recentemente em Roma, onde tomou parte no Colóquio dos 30 anos da Associação das Mulheres Cabo-verdianas em Itália. Falou das políticas do Governo de Cabo Verde em matéria de igualdade de género.

Dulce Araújo - Cidade do Vaticano

Uma das caras mais amadas da TV pública de Cabo Verde, Rosana Almeida trocou, há pouco mais de um ano, a televisão pela presidência do ICIEG, Instituto Cabo-verdiano de Igualdade e Equidade de Género.

30 anos da OMCVI

E foi como nova líder do ICIEG que veio a Roma a convite da OMCVI, Associação de Mulheres Cabo-verdianas em Itália, para falar, no âmbito dos 30 anos dessa Associação, das politicas de Género em Cabo Verde. Foi numa conferência realizada no dia 15 de Abril.

Está a valer a pena

Contrariamente à TV, onde embora fosse apreciada pelo público, não encontrou a valorização institucional que esperava nem aprovação para passar dos debates para um talk-show politico, social e económico,  no ICIEG Rosana está a descobrir uma nova paixão – as questões de Género – e considera que é uma área que oferece oportunidades de transformação.  Resta-lhe um desejo e uma preocupação: não exclui voltar à profissão de jornalista, mas pergunta-se se quando voltar, vão-lhe dar a oportunidade de demonstrar de novo a sua imparcialidade, ou se a vão identificar com algum partido.

Lei da Paridade e transversalização da política de Género

No ICIEG - disse em entrevista à Vatican News -  já está a trabalhar nalgumas prioridades: levar a Lei da Paridade ao Parlamento, falar da masculinidade, empoderar meninas e, sobretudo, trabalhar na transversalidade ministerial da abordagem da questão Género.

Velar pelo cumprimento das politicas de Igualdade

A principal missão do ICIEG  é  zelar pelo cumprimento das politicas públicas e estabelecer parcerias internacionais. A execução dos programas é confiada às ONG e a outros parceiros nacionais.

 

Oiça aqui a primeira parte da entrevista

 

22 abril 2018, 16:06